Setor de Afecções do Pé e Tornozelo do Adulto

AS ORIENTAÇÕES AQUI APRESENTADAS DESTINAM-SE AOS PACIENTES E SEUS FAMILIARES. FOI ESCRITA EM LINGUAGEM LEIGA,
EVITANDO-SE TERMOS TÉCNICOS. EMBORA NOSSA INTENÇÃO SEJA CONTRIBUIR COM INFORMAÇÕES GERAIS, ELAS NÃO SUBSTITUEM
AS ORIENTAÇÕES DADAS PELO SEU MÉDICO, QUE CONHECE OS DETALHES DO SEU PROBLEMA E PODERÁ, DE FATO, REALIZAR
ORIENTAÇÃO EFETIVA E PARTICULARIZADA.

Preciso operar o meu pé. E agora?

peAntes de mais nada, não se desespere e ache que é uma vítima. Na verdade você faz parte da regra geral, pois, muitos dos problemas do pé adulto recebem tratamento cirúrgico. Além do temor próprio de qualquer cirurgia, a do pé pode trazer preocupações adicionais principalmente em relação ao período de incapacitação, a dependência que pode levar durante a recuperação, a limitação do trabalho tanto em casa, como fora dela. Mesmo interferência em atividades básicas como higiene pessoal preocupam.
Muito dos temores da cirurgia advém da falta de informação. Seu médico deve esclarecer todas suas dúvidas e você deve organizar sua casa de modo usar cadeira de rodas, muletas, fazer repouso, tomar banho, etc,. Se você mora em um sobrado, é preciso preparar um cômodo onde possa se instalar por alguns dias, geralmente no térreo. Degraus e escadas devem ser evitadas, logo depois da cirurgia. Evite produtos de limpeza que tornam o piso escorregadio, remova pequenos tapetes e mude objetos e móveis de lugar de modo a facilitar seu trânsito com cadeira de rodas, muleta ou andador. Coloque objetos de uso frequente ao seu alcance. Todas estas medidas facilitam sua independência.
Siga estritamente a orientação do seu médico no pós-operatório. Não “force a barra” para que ele faça alguma concessão que, eventualmente, será prejudicial. Muito do sucesso de uma cirurgia depende de um pós-operatório bem feito.
As limitações de mobilidade são maiores quando a cirurgia é feita nos dois pés de uma vez só. Se operar apenas um lado, é possível andar precocemente de andador ou muletas. O andador dá mais firmeza e equilíbrio e permite controlar o passo. Pode ser usado sem fazer apoio ou apenas com apoio parcial no lado operado. Isto vai depender da cirurgia e da orientação do médico. O andador é melhor para pessoas mais idosas, obesas ou que tenham problemas de equilíbrio.
A muleta permite mais agilidade, porém, é mais bem usada pelos mais jovens, não obesos, aqueles que tem agilidade para andar e boa força nos braços. Se você for usar a muleta após a cirurgia é melhor adquiri-la (comprar, alugar, emprestar) e regulá-la para sua altura. Também, é bom treinar a andar de muleta antes da cirurgia, sem apoiar o pé que vai ser operado.
Outro aspecto importante é se haverá necessidade do uso de gesso. Este tipo de conduta está cada vez menos usado após uma cirurgia do pé, pois é um transtorno e causa muita dificuldade na recuperação. Atualmente existem técnicas cirúrgicas e sandálias que dispensam o gesso e há órteses que podem ser retiradas para banho e exercícios.
Entretanto, alguns tipos de cirurgia não dispensam o gesso, principalmente aquelas que envolvem o osso do calcanhar ou as artrodeses. A ideia é usar o gesso pelo menor período de tempo possível.